• We are available for your help 24/7
  • Email: info@isindexing.com, submission@isindexing.com


Paper Details

Análise Fitoquímica Dos Extratos Aquosos De Vernonia polyanthes (Assa-peixe) e Maytenus ilicifolia (Espinheira-santa)

Jasmine Garcia de Gigueiredo, Beatriz Fernandes Carvalho, Gyzelle Pereira Vilhena do Nacimento, Catarina Rocha Garofalo, Ricardo Chiappa

Journal Title:Revista de Iniciação Científica e Extensão
Abstract


O  Brasil  é  detentor  da  maior  biodiversidade  mundial  e  o  Cerrado  é  o  segundo maior  bioma brasileiro.  A  espécie  vegetal  assa-peixe  é  nativa  de  cerrado,  suas  folhas  são  ricas  em metabólitos  secundários,  compostos  que  são  responsáveis  por  processos  de  cicatrização,  com ação  anti-inflamatória,  antioxidante,  antitussígeno,  diurético,  depurativo.  Já  Maytenus  ilicifolia  é comumente encontrada na Mata Atlântica, o infuso de suas folhas é utilizado para alterações no trato  gastrointestinal,  além  de  possuir  ações  analgésicas,  tônicas,  cicatrizantes,  laxativas, diuréticas,  antissépticas.  O  presente  trabalho  foi  desenvolvido  com  intuito  de  realizar  uma análise  fitoquímica,  com  importância  nos  estudos  dos  metabólitos  secundários,  compostos orgânicos  produzidos  pela  célula  vegetal  como  derivação  do  metabolismo  primário,  pois  têm como objetivo conhecer e avaliar a estrutura química dos extratos aquosos das plantas Vernonia polyanthes  (assa-peixe)  e  Maytenus  ilicifolia  (espinheira-santa)  como  alternativa  terapêutica.  A amostra vegetal de Maytenus ilicifolia foi adquirida em farmácia de manipulação e a de Vernonia polyanthes foi adquirida em estabelecimento comercial ambas localizadas em Brasília –Distrito Federal    e    posteriormente    encaminhadas    para    as    dependências    do    Laboratório    de Farmacognosia da UNICEPLAC. A análise fitoquímica do extrato alcóolicode V. polyanthes e M. ilicifolia,   demonstrou   que   todos   os   grupamentos   farmacognósticos   testados,   flavonoides, saponinas, cumarinas, alcaloides e taninos, foram detectados positivamente. Assim, as espécies V.   polyanthese   M.   ilicifolia   têm   substâncias   relevantes   que   podem   ser   empregadas   na terapêutica, visto que há uma crescente demanda no uso de fitoterápicos. O estudo fitoquímico fornece uma comprovação de componentes presentes nas plantas. As indústrias farmacêuticas são  estimuladas  para  adequar  normas  e regulamentar  os  processos,  garantindo  a  qualidade  e segurança dos medicamentos fitoterápicos

Download